quarta-feira, 29 de junho de 2005

o pipizinho


... mais uma viagem de franka
(como vou viajar pra Bahia amanhã, a crônica de amanhã vai mais cedo)
Por favor, pare, agora


Estávamos numa viagem de trabalho. No carro, eu, o Ricardo, o engenheiro da obra e uma moça que vende luminárias. Estávamos indo para uma obra no litoral de São Paulo. No meio do caminho, a moça se virou para o Ricardo e pediu, cautelosamente:
- Ricardo, você poderia parar quando aparecer um posto? É que eu preciso fazer um “pipizinho”, por favor – ela arrematou.
Ele consentiu e ficou calado, sério. Mas percebi que o Ricardo não deu a mínima pro pedido dela. A estrada corria, os postos passavam e nada dele parar. Quando nós percebíamos, zupt, tinha passado mais um posto. Uma hora dei um toque para ele: cochichei, brava, para que ele parasse logo, pois a moça tinha dito que estava apertada, ora bolas. Só então ele concordou e parou. A moça, trançando as pernas, saiu correndo feito um foguete para dentro da lanchonete.
- Pô, Ricardo. Maldade.
- Hahaha. Eu não achei que era sério o "pipi" dela.
- Como não? Ela pediu.
- Mas ela falou “pipizinho”.. “Ricardo, preciso fazer um pipizinho...” – e ele imitava a moça, fazendo um biquinho - “Um pipizinho...”.
- E você nem ligou para o pipi dela.
- Também, uma pessoa que fala “pipizinho”.
- Que tem de mais?
- Quem quer apenas fazer um “pipizinho” não é levado a sério, lúcia. Quando a pessoa fala que quer fazer um “pipi”, parece que ela não está assim com tanta vontade de urinar. A palavra “pipi” tem pouca quantidade de líquido.
- Como é que é?
- Pensa. Quando uma pessoa fala que quer fazer um “xixi” parece que ela tem bem mais urina. Acho que é por causa da palavra. Xiiiii. Xiiiiii. Um monte de urina, “xixi”. Xiiiixiiiiiii. Já “pipi” não. Parece só um pingo. Ou melhor, dois pingos. Pi e pi. Ninguém respeita só dois pingos de urina. Já “xixi” é mais complicado. É um montão. Xiiiiiii...
- Se ela falasse xiiixiiiiiii você parava?
- Claro! – e ele me explicou – Quando você só tem uma vontadezinha, você fala que quer fazer um “pipi”. Se a vontade é maior, fala que quer fazer um “xixi”. Agora, se a tua vontade de urinar é enorme, incontrolável, tem que falar diferente. Tem que deixar o motorista apavorado, em pânico.
- Como assim?
- Tem que falar uma palavra mais pesada. Desculpa, Lúcia... – e ele me olhou seríssimo – ... mas tem que falar uma palavra mais forte, como “mijada”. Eu sei que a palavra “mijada” é horrorosa, mas parece que a pessoa está prestes a explodir de tanta vontade. Uma “mijada” tem litros de urina dentro dela. Uma mijada é indiscutível e totalmente respeitada. Não tem carro que não pare diante de uma necessidade de mijada.
Eu olhei para ele boquiaberta com aquela explicação. E ele resumiu.
- Pipi, xixi e mijada. É importante saber diferença, principalmente se você não é o motorista do carro.
Nisso a arquiteta voltou, satisfeita. Entrou no carro e olhou para nós dois.
- Prontinho. Vamos?

Um comentário:

Claudio Elias Do Nascimento disse...

Jesus Cristo Esta Voltando!!!
#Deus